28 de agosto de 2015

Por onde andam as pessoas interessantes?


Título: Por onde andam as pessoas interessantes?
Autor: Daniel Bovolento
Páginas: 189
Editora: Editora Planeta




Sinopse

Daniel parece sangrar um pouco a cada crônica que escreve. Trata de amor com a eloquência lírica da juventude e, ao mesmo tempo, com conclusões empíricas, de quem desde muito cedo aprendeu a observar e registrar o comportamento e as relações humanas. Papo de botequim diriam alguns, mas o fato é que seus textos nos despertam os sentidos, nos tiram do estado letárgico: agrada, alivia, incomoda, angustia... Não importa, faz sentir porque faz sentido.
“Outro dia perguntei pra um amigo se ele sentia que as pessoas interessantes tinham sumido e ele disse que sim. Mais uma corja de amigos recém- separados e na mesma faixa de idade responderam o mesmo. E isso me faz pensar se a gente é que ficou desinteressante, ou se o limbo emocional – nossa casa constante com o passar dos anos e dos relacionamentos – acabou tornando a gente mais exigente e maduro. Ou se realmente anda difícil encontrar conexão emocional numa época em que os aplicativos de pegação, a variedade de opções e a falta de tempo costumam transformar em instantâneos os relacionamentos que já estavam se tornando efêmeros.”

Resenha

Por onde andam as pessoas interessantes? É do autor Daniel Bovolento do blog Entre Todas as coisas.
O livro é dividido em capítulos super pequenos, cada capítulo tem no máximo três ou quatro folhas. É a primeira vez que eu leio algo escrito pelo Daniel e tenho que falar que estou apaixonada pelas crônicas, que escrita maravilhosa, cada crônica fala do dia a dia, das coisas que fazemos e das coisas que deixamos de fazer por medo de se decepcionar, mas todas as crônicas tem algo em comum é sombre 'relacionamentos' alguns perdidos, outros nem tanto. Algumas crônicas nos faz rir, outras nós deixa triste,porém a leitura é muito agradável, rápida e leve.


Escolhi alguns trechos, acabei copiando mais do que deveria rs então acabei escolhendo só quatro.

"Um amor nunca é tempo perdido, por pior que ele tenha sido"

pág.37




"No meu histórico amoroso, era evidente: o padrão era encontrar alguém emocionalmente estragado que precisava de cuidados e muita atenção, muito desenvolvimento afetivo pela frente."
pág.87




"Você era âncora, lembra? Não dessas que botam a gente pra baixo, mais do tipo que prende uma das pernas pra fixar meus pés no chão."
pág.96





"Ô rapaz, cuida dela com ternura. Essa garota precisa de alguém com tempo e com todo o coração do mundo pra entender a alma dela."
                                                                                                              pág.99






MEU PONTO DE VISTA: Me identifiquei do começo ao fim com o livro, era como se tivesse lendo a minha vida, a minha história, não to brincando gente, me senti exatamente assim, em todo capitulo eu me identificava com algo,Daniel Bovolento está de parabéns, o livro é simplesmente maravilhoso ♥

2 comentários: